O 1º Fórum da Cidade conseguiu juntar empresários, deputados nacionais e municipais, vereadores, jovens empreendedores, quadros de São Miguel, chefes de serviços e especialistas, com o foco na construção de uma cidade educadora, atrativa e sustentável.

De cidades inteligentes ao planeamento urbano com a tónica na nova agenda urbana, de mulheres empreendedoras à potencialização do turismo rural, todos mereceram uma excelente comunicação por parte dos especialistas e uma grande envolvência dos participantes com contributos de elevado nível.

Aliás, reafirma o Presidente da Câmara, “esse era o principal propósito do fórum: garantir uma participação ativa do poder público, do setor privado, de todos os atores sociais interessados na construção e desenvolvimento do nosso município”.

Por outro lado, reforça Herménio Fernandes que a realização deste fórum está completamente alinhada com a nova agenda da ONU-Habitat, com o Plano do Desenvolvimento Estratégico e dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentáveis.

A coordenadora da ONU-Habitat, que entregou a Nova Agenda Urbana ao Presidente da Câmara Municipal de São Miguel, durante o discurso de abertura, enfatizou o facto da cidade de Calheta São Miguel ser das primeiras a estabelecer o seu fórum de concertação local, uma das grandes recomendações da Agenda Urbana, pois é só no diálogo entre todos que as cidades e os assentamentos humanos serão resilientes, sustentáveis, seguros e inclusivos.

O Primeiro-Ministro que presidiu o encerramento do evento destacou a necessidade e importância de “pensarmos os nossos centros urbanos como lugares atrativos, requalificados, com bom nível de saneamento, com acessibilidades, organizados e onde as pessoas se possam sentir bem”.

No quadro do projeto “Amelioration des conditions des vie des jeunes de São Miguel” financiado pelas ONG´s Luxemburguesas CVED e PSF, o Presidente da Câmara Municipal de são Miguel, Herménio Fernandes, acompanhado do Vereador Anildo Tavares e do consultor Mohamed Kadè Camara, se encontram em missão de trabalho em Luxemburgo, para apresentar os resultados do projeto e submeter outros para financiamento.

Herménio Fernandes considera esta missão de grande importância porque é importante mostrar aos parceiros os resultados do projeto, o impacto da sua implementação na melhoria das condições de vida das pessoas de São Miguel, e sobretudo, justificar cada centavo recebido. Aliás, reforça o autarca micaelense “a prestação de contas é algo que deve fazer escola em todas as ações realizadas e esta edilidade tem tido esta preocupação em primeira linha, até porque, credibiliza cada vez mais a instituição e reforça a confiança de quem financia os projetos”.

A delegação da CMSM, chefiada pelo seu Presidente, chegou no dia 25, passaram todo o dia de ontem na apresentação dos resultados e de contas e foram também recebidos pela responsável pelo programa de cooperação bilateral do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Luxemburgo (MAEE), Sra Allen.

Da agenda de trabalho consta a visita à cooperativa agrícola BIO NUTURATA, uma vez que, o projeto que vão apresentar e submeter à análise e financiamento é um grande projeto agrícola para beneficiar os nossos agricultores.

É importante lembrar que no âmbito do mencionado projeto “Amelioration des conditions des vie des jeunes de São Miguel” o município de São Miguel beneficiou de dois autocarros 0km para transporte escolar e de financiamentos para vários projetos desportivos e sociais.

Em abril de 2016 e abril de 2017, a equipa liderada por Herménio Fernandes recebeu estes importantes parceiros no município, que vieram acompanhar a implementação do projeto, ficaram maravilhados com a condução de todo o processo e seu impacto na vida das pessoas e, precisamente, em abril de 2018, a delegação da Câmara Municipal se desloca a Luxemburgo para prestar contas, apresentar os resultados e reforçar a cooperação.

No ato de inauguração da estrada de acesso Barragem de Flamengos a Cutelo Gomes e eletrificação de Cutelo Gomes e Aguadinha, o Presidente da Câmara Municipal de São Miguel, Herménio Fernandes, lembrou da visita do Primeiro-Ministro ao município, a 2 de março de 2017, onde comprometeu-se com a população local em resolver as duas principais reivindicações dessas localidades: estrada de acesso e eletrificação. Volvidos 1 ano e dois meses, as localidades dispõem de uma boa estrada de acesso e estão ligadas à rede de energia elétrica. Palavra dada, palavra cumprida. Enfatizou Herménio Fernandes.

Dois investimentos, diz Ulisses Correia e Silva, essenciais para as pessoas fixarem nas suas zonas, produzir, ter rendimentos e fazer os outros regressar.

A estrada de acesso Barragem de Flamengos a Cutelo Gomes, construída no âmbito do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA), do Ministério das Infraestruturas Ordenamento do Território e Habitação, vai desencravar por completo a localidade facilitando a mobilidade, transporte de mercadorias, transporte dos alunos, com maior segurança e em melhores condições.

Já a eletrificação das duas localidades, Cutelo Gomes e Aguadinha, financiado pela JICA (Agência de Cooperação Internacional do Japão) e Banco Africano para Desenvolvimento (BAD), enquadra-se na política do Governo de expandir, interligar e melhorar a rede de transporte em todo o país.

O edil micaelense sublinhou ainda a importância de levar esses dois bens a estas localidades, para que possam viver nas mesmas condições que aqueles que residem na cidade e em outros concelhos do país.

No âmbito das atividades alusivas à comemoração do dia do Professor Cabo-verdiano, que se assinala no próximo 23 de abril, o Sindicato de Professores da Ilha de Santiago – SIPROFIS organizou a aludida conferência, sob o lema “o sindicalismo docente e o progresso da educação em Cabo Verde”.

Durante o ato que decorreu neste sábado, 21, na cidade de Calheta, palco central das comemorações deste ano, o Presidente da CMSM sublinhou o trabalho dos professores e dos sindicatos e exortou os professores a marcarem a diferença apostando na qualidade. “No início estão as pessoas, e no fim estão as pessoas. Quem não vive para servir, não serve para viver” e abriu, desta forma, o espaço para partilhas, apresentações e discussão sobre os temas propostos.

O primeiro painel, intitulado a educação contemporânea, teve como um dos oradores o sociólogo Henrique Varela, que falou do professor que se quer para a sociedade contemporânea. Diz ele, é aquele que tem a capacidade de fazer o acolhimento, a proteção, a programação para chegar a integração, é sobretudo, aquele que inspira o aluno.

Já o conferencista português, Alfredo Soares Pereira, versou a urgência da educação das energias renováveis em África. Enfatizou as vantagens de utilizar os recursos que a natureza nos oferece, na certeza de que isso aumentará a qualidade de vida em Cabo Verde.

A Ministra da Educação, por sua vez, teve a responsabilidade de abordar os desafios da educação para a classe docente. Desafio esse que, no entender de Maritza Rosabal, já começou com as mudanças e novidades implementadas no sistema educativo, com a tónica no alargamento da escolaridade obrigatória, a inserção das línguas estrangeiras no Ensino Básico e a aposta nas TIC´s.

Já o 2º painel, intitulado o sindicalismo docente da CPLE-SE, incidiu na partilha de experiências sindicais de Cabo Verde, Brasil e Portugal, com os dirigentes sindicais dos respetivos países a abordar o assunto.