Carregado de beleza e história, o Centro Histórico e Cultural de Porto de Calheta é sem dúvida uma das obras mais emblemática do Município.

A renovação e valorização deste espaço de enorme importância histórica abrange a criação da primeira rua pedonal de Santiago Norte, espaços de lazer e atividades culturais, espaços verdes, parque infantil, casa do mar e disponibilização de internet gratuito, através da rede wi-fi, a todos os que visitam e frequentam este encanto de São Miguel.

Co-financiado pelo Governo de Cabo Verde, através dos fundos do ambiente e do turismo, e pela Câmara Municipal de São Miguel, o edil Herménio Fernandes ressaltou a dimensão desta obra e a importância do envolvimento dos parceiros, agradecendo ao Governo de Cabo Verde por mais esta cooperação.

Uma obra que, enfatiza Herménio Fernandes, “valoriza o concelho, a cidade e a nossa história. Um cartão-de-visita do município que vai atrair mais visitantes para o município, dinamizando o turismo, a atividade piscatória, a economia local e que será sobretudo um PALCO DA PROMOÇÃO DA CULTURA".

Aliás as atividades culturais têm dominado a comemoração do 21º Aniversário do Município e no dia da inauguração dum espaço da cultura, não podia ser diferente: literatura, arte e música prologaram noite dentro o dia que vai-se destacar na história do Concelho.

O momento foi também de homenagem, através de desenhos e atribuição de nomes às ruas dos pescadores e personalidades mais antigas que marcam a história de Porto de Calheta. Uma forma de perpetuar na nossa memória as figuras históricas do nosso concelho.

O ato foi presidente pelo Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Dr. Ulisses Correia e Silva, testemunhado pelo Ministro da Agricultura e Ambiente, Ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Presidente da Associação do Turismo de Santiago, Deputados Nacionais e Municipais, Chefes do mais variados Serviços Desconcertados do Estado e munícipes que participaram em massa, manifestando a alegria em ver a maravilha em que se transformou o nosso Porto de Calheta.

A Escola Esperança de São Miguel fez história ao tornar-se na primeira equipa da Região Santiago Norte a conseguir o título de campeão nacional em futebol.

A história começou-se a escrever logo na 1ª jornada com a atuação dos jovens guerreiros de Esperança. Já na metade do campeonato todas as equipas temiam os pupilos do Mister Ambrósio que bateram todos os records possíveis, destacando os 25 golos marcados e apenas um sofrido.

Dos 6 troféus possíveis, conseguiram trazer para São Miguel 5: Campeão Nacional, Melhor Jogador, Melhor Marcador, Melhor Guarda-redes e Melhor Treinador faltando apenas o de fair play que só não foi possível devido a um cartão amarelo.

É um feito que, no entender do edil, Herménio Fernandes, que acompanhou os bravos de esperança nesta conquista e os recebeu hoje, nos Paços do concelho, representa um sinal claro de crescimento, empenho, disciplina e dedicação, resultante de um excelente trabalho que a Escola tem vindo a fazer.

O edil manifestou o seu orgulho e reforçou, uma vez mais, o compromisso com o desporto, com a Escola Esperança tanto no desporto como na educação, enfatizando o aumento dos incentivos ao desporto de 400 mil escudos para 1.300 mil escudos. E como prémio pela conquista do título, entregou a Escola Esperança um cheque no valor de 100 mil escudos.

Já o Mister Ambrósio, o melhor treinador de Cabo Verde Sub17, enfatizou a importância desta conquista para o concelho e para a Região Santiago Norte assumindo o desafio de repetir o feito com a equipa sénior.

Parabéns a Escola Esperança, parabéns ao Mister Ambrósio e toda a equipa técnica, parabéns ao Kleiton pelo prémio de melhor jogador de Cabo Verde e melhor marcador da competição com 10 golos, parabéns ao keton pelo prémio de melhor guarda-redes, parabéns ao Município de São Miguel e parabéns a Região Santiago Norte.

A inauguração da Biblioteca Municipal e da Casa de Artes e o início da 1ª Semana Municipal das Artes, diz Herménio Fernandes, “demonstra a nossa visão para a promoção da cultura e toda a nossa preocupação e sensibilidade para a área cultural, cumprindo assim o compromisso assumido no programa de governação: valorização e promoção da cultura como um das medidas para o desenvolvimento do concelho”.

Com isto, reforça o edil “criamos as condições para que os nossos jovens, artistas, estudantes, amantes da cultura e do saber, tenham as condições para produzirem, progredirem, apresentarem os seus produtos e se projetarem a nível nacional e internacional”. Todavia, ressalta “todo esse investimento só faz sentido, traduzindo num instrumento de combate à pobreza, em fonte de rendimento e criação de oportunidades de emprego”.

O Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas começou por ressaltar a feliz coincidência de num mesmo dia poder presidir a abertura do ano letivo, inauguração da biblioteca municipal, inauguração da casa das artes e abertura da 1ª semana municipal de artes. Juntando a cultura e a educação mostra que São Miguel já abraçou o futuro.

A biblioteca vai receber dentro em breve mais livros do Ministério da Cultura, na sequência dos protocolos que o Ministério vai assinar com a seguradora Garantia em que vai receber 26 mil livros e com a Casa da Moeda em que vai receber mais 30 mil livros. O porquê de tantos livros, diz Abraão Vicente, o seu objetivo é pôr cada Cabo-verdiano com um livro na mão. “Quem não vê livro nunca sentirá a curiosidade de abri-lo”, enfatiza.

O Ministro parabenizou a edilidade por estas iniciativas e sobretudo porque têm sabido interpretar da melhor forma o desafio que o Governo lançou aos autarcas e conclui, São Miguel já entrou na rota das grandes exposições e eventos do país, ou seja, com a Casa de Artes vão poder trazer os grandes eventos para São Miguel.

O Ministro Alexandre Monteiro acompanhou o Presidente Meno Fernandes na inauguração da rede elétrica na Cidade da Calheta, ao início da noite desta sexta-feira

Ao discursar numa das zonas abrangidas pela nova rede elétrica, o Edil micaelense sublinhou tratar-se de um investimento na qualidade e destacou o envolvimento do Governo neste projeto.

Um investimento que vai ter um impacto “muito forte” tanto na melhoria da condição de vida das populações mas também em aspetos como segurança, economia local e comércio, acentuou o Autarca.

Hoje, zonas como Ponta Verde, Monte Terra, Veneza e Achada Pizarra passam a dispor de rede elétrica, complementando zonas como Cutelo Gomes (projeto de 35 mil contos) e Garçote (projeto de 12 mil contos) cujas ligações foram inauguradas recentemente pelo Primeiro-Ministro.

Com esta inauguração, inserida nas festas da Cidade, apenas a zona de Gongon fica por eletrificar no Município.

O Ministro da Energia felicitou os micaelenses por esta conquista e exortou ao bom uso da energia.

As comunidades locais receberam esta eletrificação em clima de festa. Houve batuque e muita alegria entre os presentes.

Há mais luz a partir de hoje em São Miguel.