A inauguração da Biblioteca Municipal e da Casa de Artes e o início da 1ª Semana Municipal das Artes, diz Herménio Fernandes, “demonstra a nossa visão para a promoção da cultura e toda a nossa preocupação e sensibilidade para a área cultural, cumprindo assim o compromisso assumido no programa de governação: valorização e promoção da cultura como um das medidas para o desenvolvimento do concelho”.

Com isto, reforça o edil “criamos as condições para que os nossos jovens, artistas, estudantes, amantes da cultura e do saber, tenham as condições para produzirem, progredirem, apresentarem os seus produtos e se projetarem a nível nacional e internacional”. Todavia, ressalta “todo esse investimento só faz sentido, traduzindo num instrumento de combate à pobreza, em fonte de rendimento e criação de oportunidades de emprego”.

O Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas começou por ressaltar a feliz coincidência de num mesmo dia poder presidir a abertura do ano letivo, inauguração da biblioteca municipal, inauguração da casa das artes e abertura da 1ª semana municipal de artes. Juntando a cultura e a educação mostra que São Miguel já abraçou o futuro.

A biblioteca vai receber dentro em breve mais livros do Ministério da Cultura, na sequência dos protocolos que o Ministério vai assinar com a seguradora Garantia em que vai receber 26 mil livros e com a Casa da Moeda em que vai receber mais 30 mil livros. O porquê de tantos livros, diz Abraão Vicente, o seu objetivo é pôr cada Cabo-verdiano com um livro na mão. “Quem não vê livro nunca sentirá a curiosidade de abri-lo”, enfatiza.

O Ministro parabenizou a edilidade por estas iniciativas e sobretudo porque têm sabido interpretar da melhor forma o desafio que o Governo lançou aos autarcas e conclui, São Miguel já entrou na

rota das grandes exposições e eventos do país, ou seja, com a Casa de Artes vão poder trazer os grandes eventos para São Miguel.