Durante dois dias, Herménio Fernandes e a sua equipa percorreram as diversas localidades do município ouvindo atentamente a população, as suas preocupações, principais necessidades e o andamento do Plano de emergência para a mitigação da seca.

Da ribeira de principal à ribeira de flamengos os problemas são comuns: habitação, casas de banho, acesso (nalgumas localidades) e sobretudo, emprego, com o acréscimo das localidades de Pilão Cão, Achada Espinho Branco, Espinho Branco e Mato Correia que vêm sofrendo com a falta de água.

Face à conjuntura do mau ano agrícola, Herménio Fernandes, deixou em primeiro lugar palavras de encorajamento e luta, a continuarmos esperançosos e resilientes para juntos enfrentarmos os desafios que se nos impõe pela frente. Apesar de mostrar-se feliz que determinados tipos de problemas já não se colocam no município, não quis centrar as suas intervenções nos ganhos conseguidos, mas sim nos planos para resolver a situação das pessoas.

Explicou o programa do Governo em curso, em parceria com as autarquias, para minimizar os impactos da seca que abarca o salvamento de gados, gestão de escassez da água e criação de emprego para as famílias. E neste quesito, constatou-se que a maioria das famílias já sentiram o impacto positivo dessas medidas faltando ainda algumas zonas que vão ser abrangidas durante esses dias.

Quanto à questão da habitação e casas de banho, a Câmara está ciente dessas necessidades e tem resolvido grande parte das situações mais vulneráveis através dos programas São Miguel Valoriza e Lar Jovem. São centenas de famílias que beneficiaram de melhorias das suas habitações, construções de casas de banho e 14 que beneficiaram de construção de raiz só no ano de 2017. E as intervenções continuam, estando várias em curso, tendo sido entregues, no decurso desta visita, 4 casas de banho às famílias de Cutelo Miranda, Veneza e Ponta Verde.

No que concerne à falta de água, está com dias contados, estando a decorrer, durante estes dias, teste de bombagem de água para verificar possíveis correções e brevemente disponibilizar água 24h, às localidades de Pilão Cão, Achada Espinho Branco, Espinho Branco e Mato Correia.

E quanto ao acesso, em parceria com o Governo, através do programa PRRA, estão em curso obras de requalificação urbana e melhoria dos caminhos vicinais nos diferentes pontos do concelho e construção de estradas de acesso com destaque para a de barragem de Flamengos a Cutelo gomes.

Resultado da última viagem que o edil efetuou a Portugal, respondendo assim ao convite do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) para honrar esse nosso grande parceiro com a presença do município de São Miguel na comemoração do 35º aniversário e no ato solene de distinção e atribuição de medalha de honra à Nação Cabo-verdiana.

Aproveitando os pequenos interregnos do programa, Herménio Fernandes conseguiu se desdobrar para reunir com o seu homólogo da Batalha e garantir mais um autocarro para resolver na plenitude o problema de transporte escolar no município.

Além do autocarro, Fernandes garantiu também financiamento para conclusão das obras da capela de Pilão Cão, equipamentos desportivos, livros para a biblioteca municipal e materiais para a delegacia de saúde e USB´s.

Tem sido assim, Herménio Fernandes aproveita dos convites dos nossos parceiros para, sempre que houver qualquer oportunidade, estabelecer contactos com outros parceiros e conseguir desta forma cada vez mais apoios para o nosso município sem representar custos para a autarquia.

Sob o lema “POR UMA PESCA SUSTENTÁVEL, PROTEGE O AMBIENTE MARINHO” a comemoração do dia do pescador cabo-verdiano juntou na cidade de Calheta, peixeiras e pescadores dos diferentes concelhos da ilha de Santiago.

No discurso de boas-vindas ao município, o edil micaelense, Herménio Fernandes, chamou a atenção dos presentes pela necessidade e importância de ver a pesca como uma atividade geradora de rendimento que exercida com profissionalismo garantirá o sustento para as famílias e rendimento para investimento, da mesma forma que qualquer outra atividade.

O Secretário do Estado Adjunto para a Economia Marítima, Paulo Veiga, que presidiu o ato, considera ser necessário apostar na promoção da competitividade do setor das pescas, incrementar e diversificar a captura nacional num quadro de garantia da sustentabilidade, promover a transformação e agregação de valor através da certificação.

Paulo Veiga diz haver “um forte comprometimento do Governo em tudo fazer para elevar os pescadores, criando maior rendimento e melhoria da qualidade de vida, erguendo a classe e gerando maior coesão económica e social das comunidades piscatórias com maior eficiência na comercialização do pescado, valorizando e estimando aqueles que diariamente labutam nas ondas do nosso mar, trazendo a nós o peixe para as mesas de todos os cabo-verdianos".

A comemoração foi marcada ainda por uma homenagem ao ex-presidente da Associação dos Pescadores e Peixeiras de São Miguel, conhecido por “Txitxarinho”, falecido recentemente, aos outros pescadores do concelho já falecidos e aos desaparecidos no mar.

Teve também lugar palestras, atividades desportivas e culturais, proporcionando desta forma momentos de convívio, trocas de experiências entre associações, pescadores e peixeiras.

O dia do pescador Cabo-verdiano se comemora hoje, 05 de fevereiro, mas o ato central aconteceu durante o dia de ontem na cidade de Calheta São Miguel.

Trata-se de um incentivo que se enquadra no âmbito do projeto “Amelioration des conditions de vie des jeunes de São Miguel” financiado pelas ONG´s Luxemburguesa CVED e PSF, que está a ser escutado pela Câmara Municipal através do Espaço Jovem de Achada Portinho.

É um total de 3.850.175$00 (três milhões, oitocentos e cinquenta e cento e setenta e cinco escudos) que será disponibilizado para apoiar os monitores das escolas desportivas, associações desportivas e culturais e as próprias associações. Desse montante 2.892.000$ (dois milhões, oitocentos e noventa e dois escudos) será destinado a gratificação dos monitores e 958.175$00 (novecentos cinquenta e oito mil, cento e setenta e cinco escudos) será para apoiar as associações com materiais e equipamentos que vão precisar no dia-a-dia.

São 47 monitores, das diferentes localidades do concelho, que vão receber este apoio mensalmente, durante 7 trimestre, ou seja, 21 meses, de acordo com o horário de colaboração com as escolas, clubes e associações.

Para a Câmara Municipal, esta é uma forma de incentivar os monitores e colaboradores que voluntariamente vêm dando as suas contribuições para o desenvolvimento das diversas modalidades desportivas no concelho, nomeadamente futebol, andebol, basquetebol, atletismo e ciclismo, e ainda na promoção de grupos de dança, teatro e música.