No quadro do contrato de financiamento das obras de Porto de Calheta, uma equipa do fundo do Ambiente encabeçada pelo seu Presidente do Conselho de Administração, Mário Morreira, efetuou nesta sexta-feira uma visita de seguimento e avaliação das obras.

Durante a visita o edil explicou o nível das intervenções feitas, outras que no decorrer da obra tiveram que ser realizadas com recursos próprios, e o que ainda falta por fazer. Mário Morreira ficou bastante satisfeito com o que constatou no terreno “as obras falam por si” e garantiu para breve o desbloqueamento da última tranche do financiamento para que a Câmara possa concluir as obras de requalificação desta aérea importante da Cidade de Calheta.

 Na sequência da visita recebida, hoje, do Presidente da recém criada Associação Regional de Desporto Adaptado Santiago Norte, Nelson Lopes, o edil, Herménio (Meno) Fernandes, ressaltou que “é nossa obrigação criar as condições para uma melhor integração dos nossos deficientes, e o desporto é a força motivadora para que se sintam mais a vontade para o contacto social, e saiam da inatividade e sedentarismo, a que muitas vezes se prendem, melhorando assim o seu próprio estado de espírito e autoestima”.

São Miguel tem, neste momento, uma média de 10 atletas paraolímpicos que participam nas competições nacionais, orientados pelo representante local, Adozindo Furtado, mas a ideia é aumentar esse número e massificar o desporto adaptado na Região Norte, nesse sentido, Fernandes mostrou ainda a disponibilidade e interesse em ver instalado no município a sede da Associação Regional de Desporto Adaptado Santiago Norte.

O Presidente, Herménio (Meno) Fernandes e o Vereador responsável pela área da Fiscalização, Salvador Cruz, reuniram, ontem, com o Presidente do Instituto de Gestão da Qualidade e da Propriedade Intelectual, Abraão Lopes, tendo em vista uma parceria para a criação de um ponto focal do instituto no município e permitir assim, uma atuação de forma eficaz no controlo metrológico legal, regulando todos os instrumentos de medição envolvidos em transações comerciais.

Da parte da Câmara o edil manifestou total disponibilidade e interesse. “O nosso objetivo é garantir a segurança alimentar, saúde, proteção do ambiente, pagamento do preço justo e um serviço de qualidade aos munícipes.” Assegurou Herménio Fernandes.

Brevemente vai ser assinado um protocolo de parceria entre as duas instituições que engloba ainda a capacitação dos técnicos locais para atuação nas diversas áreas de controlo metrológico.

 Reunida na sua IIIª Sessão Ordinária, nesta terça-feira, 30 de maio, a Assembleia Municipal de São https://www.viagrapascherfr.com/viagra-chez-femme/ Miguel apreciou positivamente a Conta Gerência referente ao ano 2016 apresentada pela Câmara Municipal.

 

 

Segundo explicou o PCMSM na apresentação da conta gerência "o município registou ganhos assinaláveis ao nível de infraestruturas, requalificação Urbana, Habitação Social, Saneamento, tendo contribuído para a melhoria do ambiente geral no município e da qualidade de vida dos munícipes”.

Realçou o desempenho assinalável da receita total do município em 2016, que incluindo o saldo inicial, cifrou-se em 247.658.305$00 (duzentos e quarenta e sete milhões, seiscentos e cinquenta e oito mil e trezentos e cinco escudos), o que em termos de realização, representa 81,3% do total das previsões.

Segundo os dados apresentados pelo edil, houve um crescimento de 56.484.993$00 (cinquenta e seis milhões, quatrocentos e oitenta e quatro mil, novecentos e noventa e três escudos) representando um aumento de 30%, comparativamente ao período homólogo. As receitas correntes registaram uma subida de, aproximadamente, quatro milhões de escudos. Houve um aumento de quase 30% na cobrança do IUP e uma redução da dependência de FFM em 16%. As receitas de Capital registaram um crescimento de 52.537702$00 (cinquenta e dois milhões, quinhentos e trinta e sete mil, setecentos e dois escudos) ou 123% durante 2016.

No que concerne às despesas totais, segundo o PCMSM, Herménio Fernandes, o desempenho é também muito bom, na medida que 80 % das previsões foram realizadas. Explica ainda que, durante 2016, totalizaram 244 441 380$00 (duzentos e quarenta e quatro milhões quatrocentos e quarenta e um mil e trezentos e oitenta escudos), sendo 129.979.344$00 (cento e vinte e nove milhões, novecentos e setenta e nove, trezentos e quarenta e quatro escudos) de despesas correntes, 101.668.244$00 (cento e um milhões, seiscentos e sessenta e oito mil, duzentos e quarenta e quatro escudos) de despesas de capital e 12.793.792$00 (doze milhões, setecentos e noventa e três mil, setecentos e noventa e dois escudos) de amortizações de empréstimos.

As despesas correntes representam 53% das despesas totais. É importante realçar que o peso das despesas correntes obteve uma redução nas despesas totais, passando de 65% em 2015 para 53% em 2016, isto porque as despesas de capital (investimentos) aumentaram significativamente. As despesas de capital, durante 2016, praticamente, duplicaram o seu valor registando um valor de 101.668.244$00 (cento e um milhões, seiscentos e sessenta e oito mil, duzentos e quarenta e quatro escudos) contra os 51.221.596$00 (cinquenta e um milhões, duzentos e vinte e um mil, quinhentos e noventa e seis escudos) em 2015, traduzindo um crescimento de 50.446.648$00 (cinquenta milhões, quatrocentos e quarenta e seis mil, seiscentos e quarenta e oito escudos) em 2016.

Os investimentos, assim como boa parte das rubricas de receitas, atingiram níveis assinaláveis, demonstrando de forma clara a dinâmica da CMSM e as suas prioridades. Segundo o Presidente estas mudanças profundas devem-se a nova visão e dinâmica imprimida pela nova liderança e equipa, a dinâmica na mobilização dos recursos e na arrecadação das receitas, bem como a mudança do governo no país, passando a câmara municipal a contar com um Governo parceiro e amigo dos municípios.

No entender da bancada da situação (MPD), estes números traduzem o êxito alcançado pelas políticas públicas de promoção do desenvolvimento e por uma gestão responsável, rigorosa, empenhada na defesa do interesse público, bem como a dinâmica da edilidade na mobilização de recursos e arrecadação de receitas.

Quanto à bancada da oposição (PAICV) limitou a sua intervenção aos pedidos de esclarecimentos sobre as dívidas da Câmara e algumas rubricas da Conta Gerência apresentada.

A Sessão serviu também para se aprovar o regulamento de liquidação e cobrança de taxas de exploração de inertes, com 12 votos a favor da bancada do MPD, 0 contra e 5 abstenções da bancada do PAICV.