Um dia memorável e especial. Foi assim que a população de Achada Espinho Branco descreveu este 22 de dezembro de 2018, que entra para a história da localidade, graças a profundas intervenções de requalificação urbana e ambiental levado a cabo pela Câmara Municipal de São Miguel em parceria com o Governo de Cabo Verde.

Foram três ruas de grande extensão e outras menor que foram contempladas com obras de construção de murros de proteção, calcetamento, introdução de passeios e espaços verdes, melhorando toda a configuração, o ambiente, a mobilidade na localidade, aumentando o autoestima da população.

O Presidente Herménio Fernandes enalteceu a qualidade de trabalho que empregou cerca de duas centenas de famílias, sendo 80% mão-de-obra feminina. Realçou o impacto que este investimento terá no comércio local, no turismo e na qualidade de vida para a população, destacando também a singela homenagem feita a personalidades reconhecidas pela comunidade, com a atribuição de nomes às ruas, bem como a do Herói Nacional Amílcar Cabral, pelo significado que tem para a comunidade dos rabelados e para o país.

O Ministro da Agricultura e Ambiente, que presidiu o ato, mostrou toda a sua satisfação por ver a felicidade no rosto das pessoas, o que demonstra que a parceria entre o Governo e a Câmara está a ter o impacto desejado, referenciando o município de São Miguel como o exemplo de trabalho e dedicação, tanto é que esta é a quarta vez que preside no município, inaugurações de obras com impactos diretos na melhoria da qualidade de vida da população, anunciando mais intervenções conjunta nos próximos anos.

Carregado de beleza e história, o Centro Histórico e Cultural de Porto de Calheta é sem dúvida uma das obras mais emblemática do Município.

A renovação e valorização deste espaço de enorme importância histórica abrange a criação da primeira rua pedonal de Santiago Norte, espaços de lazer e atividades culturais, espaços verdes, parque infantil, casa do mar e disponibilização de internet gratuito, através da rede wi-fi, a todos os que visitam e frequentam este encanto de São Miguel.

Co-financiado pelo Governo de Cabo Verde, através dos fundos do ambiente e do turismo, e pela Câmara Municipal de São Miguel, o edil Herménio Fernandes ressaltou a dimensão desta obra e a importância do envolvimento dos parceiros, agradecendo ao Governo de Cabo Verde por mais esta cooperação.

Uma obra que, enfatiza Herménio Fernandes, “valoriza o concelho, a cidade e a nossa história. Um cartão-de-visita do município que vai atrair mais visitantes para o município, dinamizando o turismo, a atividade piscatória, a economia local e que será sobretudo um PALCO DA PROMOÇÃO DA CULTURA".

Aliás as atividades culturais têm dominado a comemoração do 21º Aniversário do Município e no dia da inauguração dum espaço da cultura, não podia ser diferente: literatura, arte e música prologaram noite dentro o dia que vai-se destacar na história do Concelho.

O momento foi também de homenagem, através de desenhos e atribuição de nomes às ruas dos pescadores e personalidades mais antigas que marcam a história de Porto de Calheta. Uma forma de perpetuar na nossa memória as figuras históricas do nosso concelho.

O ato foi presidente pelo Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Dr. Ulisses Correia e Silva, testemunhado pelo Ministro da Agricultura e Ambiente, Ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Presidente da Associação do Turismo de Santiago, Deputados Nacionais e Municipais, Chefes do mais variados Serviços Desconcertados do Estado e munícipes que participaram em massa, manifestando a alegria em ver a maravilha em que se transformou o nosso Porto de Calheta.

Já se pode vislumbrar a profunda transformação da cidade de Calheta numa das referências em Santiago Norte. O executivo camarário acompanhou hoje o andamento das obras de asfaltagem da via principal da cidade – Ponta Calhetona a Jamaica.

Um investimento que segundo o edil, Herménio Fernandes, vai mudar por completo a configuração espacial da cidade, tornando-a mais atrativa, mais dinâmica, mais competitiva e mais organizada. Por outro lado, ressalta o mais jovem autarca do país, melhorará o ambiente do negócio, o turismo, a organização do trânsito e a vida dos munícipes.

São 2.5 km de asfalto que contempla a criação da Avenida de Veneza, duas rotundas, criação de ciclovias, passeios, espaços verdes e trará mais opções de lazer e melhorará a mobilidade urbana.

A colocação da 1ª camada já vai em Ponta Verde, vai permitir corrigir todas as irregularidades do piso para receber o toque final, porém a cidade já apresenta um aspeto totalmente diferente e já é possível circular com mais conforto.

A inauguração da Biblioteca Municipal e da Casa de Artes e o início da 1ª Semana Municipal das Artes, diz Herménio Fernandes, “demonstra a nossa visão para a promoção da cultura e toda a nossa preocupação e sensibilidade para a área cultural, cumprindo assim o compromisso assumido no programa de governação: valorização e promoção da cultura como um das medidas para o desenvolvimento do concelho”.

Com isto, reforça o edil “criamos as condições para que os nossos jovens, artistas, estudantes, amantes da cultura e do saber, tenham as condições para produzirem, progredirem, apresentarem os seus produtos e se projetarem a nível nacional e internacional”. Todavia, ressalta “todo esse investimento só faz sentido, traduzindo num instrumento de combate à pobreza, em fonte de rendimento e criação de oportunidades de emprego”.

O Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas começou por ressaltar a feliz coincidência de num mesmo dia poder presidir a abertura do ano letivo, inauguração da biblioteca municipal, inauguração da casa das artes e abertura da 1ª semana municipal de artes. Juntando a cultura e a educação mostra que São Miguel já abraçou o futuro.

A biblioteca vai receber dentro em breve mais livros do Ministério da Cultura, na sequência dos protocolos que o Ministério vai assinar com a seguradora Garantia em que vai receber 26 mil livros e com a Casa da Moeda em que vai receber mais 30 mil livros. O porquê de tantos livros, diz Abraão Vicente, o seu objetivo é pôr cada Cabo-verdiano com um livro na mão. “Quem não vê livro nunca sentirá a curiosidade de abri-lo”, enfatiza.

O Ministro parabenizou a edilidade por estas iniciativas e sobretudo porque têm sabido interpretar da melhor forma o desafio que o Governo lançou aos autarcas e conclui, São Miguel já entrou na

rota das grandes exposições e eventos do país, ou seja, com a Casa de Artes vão poder trazer os grandes eventos para São Miguel.