Um documento de prestação de contas que espelha o rigor, a objetividade e a clareza da execução orçamental do ano 2017. Assim apresentou o edil esse instrumento de controlo de gestão aos deputados para apreciação, destacando a dinâmica na arrecadação de receitas, a capacidade de mobilização de recursos, aumento das receitas totais, a modernização administrativa e a prestação de serviços eficientes e de qualidade aos nossos munícipes, e sobretudo, o peso da solidariedade do Governo para com o município e o investimento nas pessoas. Aliás, disse Herménio Fernandes, “quando investimos na educação, na saúde, na habitação social, na requalificação urbana, na eletrificação rural, estamos a investir nas pessoas, melhorando a qualidade de vida e o bem-estar da população”. (Pode aceder ao documento na íntegra no item anúncios e editaishttp://www.cmsm.cv/index.php/anuncios-editais).

Outro documento que esteve também em análise, nesta VI Sessão Ordinária da Assembleia Municipal, realizada ontem, foi a proposta do Relatório do Estado de Ordenamento do Território aprovada com os votos da bancada do MPD e abstenção da bancada do PAICV.

Da mesma forma, foram aprovadas as propostas de alienação em hasta pública dos imóveis: antigo Jardim Infantil de Veneza, antiga Esquadra Policial em Achada Batalha, antigo Registo Civil em Veneza, antigo Posto de Saúde em Achada do Monte e o Prédio Urbano Casa Amizade em Achada Batalha.    

Veja aqui a entrevista de Herménio Fernandes.

O município de São Miguel está em profunda transformação. E esta transformação está sendo pormenorizadamente acompanhada pelo edil e a sua equipa, para garantir que aconteça como pensado: aliada à modernização, que garanta o verde, a inclusão, a segurança, o lazer e uma boa qualidade de vida a todas e todos.

Durante a visita de acompanhamento da execução das obras, efetuado durante o dia de ontem, 28 de março, pela equipa camarária, Herménio Fernandes, disse que, além de garantir os desideratos acima referenciados, é necessário também criar as condições para termos um município atrativo e competitivo para que os nossos jovens, empresários e emigrantes possam investir com segurança. É neste sentido que estamos a investir fortemente na requalificação urbana, na requalificação das orlas marítimas, na criação de atratividades, na construção e melhoramento de acessos, para dinamizarmos a economia local, o turismo, e sobretudo, gerar rendimento para as famílias. E esses investimentos só estão sendo possíveis graças ao casamento perfeito com o Governo de Cabo Verde.

Requalificação Urbana de Achada Monte e Achada Espinho Branco, Requalificação da Orla Marítima de Ponta Verde, Arranjos Urbanísticos e Construção de Miradouro de Ponta Verde, Drenagem de águas pluviais em Covão de Coelho e Covão de Nána em Cutelo Miranda, foram as obras contempladas nesta visita, todas financiadas pelo Governo de Cabo Verde através dos fundos de ambiente, do turismo e plano de emergência. Investimentos esses que tem gerado quase duas centenas de postos de trabalho, concretamente 185.

O dia da Mulher Cabo-verdiana em São Miguel ficou marcado pelo lançamento do Projeto de Inclusão Socioeconómica e Desenvolvimento da Ribeira de São Miguel. Um projeto de produção de produtos agrícolas e hortícolas, voltado para as mulheres, que visa aumentar o rendimento das famílias, criando oportunidades de emprego e empregabilidade no meio rural e melhorar a qualidade de vida da população.

“Este é o caminho. É por esta via que vamos reduzir a pobreza no município e criar as condições para que as famílias não fiquem na total dependência de um bom ano agrícola. Sabemos que a chuva nem sempre é tão amiga como se deseja, por isso, temos que criar as condições para que as famílias garantam o rendimento, mesmo nas condições mais adversas, como aconteceu este ano”. Enfatizou o edil, Herménio Fernandes, durante o ato de lançamento do projeto.

Fernandes está convicto do impacto que este projeto vai ter na vida das famílias da Ribeira de São Miguel, na autonomia e empoderamento das mulheres. Por isso, é um projeto que já está sendo trabalhado para ser replicado noutras ribeiras.

A Ministra da Família e Inclusão Social, Maritza Rosabal, acredita que este projeto vai transformar a Ribeira de São Miguel e garantir emprego para as mulheres durante os próximos 3 anos. “É isso que nós queremos. Garantir o acesso ao emprego e rendimento às famílias, sobretudo às mulheres, durante o ano todo.” Ressaltou a responsável pela pasta da Família e Inclusão Social.

Orçado em 17 mil contos, o projeto que conta com a envolvência de vários parceiros nacionais e internacionais, prevê ainda criação de uma loja social, uma loja agrícola e uma cooperativa, beneficiando diretamente 49 Mulheres chefes de família e indiretamente outras 557 da Ribeira de São Miguel.