Economia

A estrutura produtiva do Concelho de São Miguel é marcada pelo setor primário (agricultura, pecuária e pesca) e o turismo, seguidas pelo comércio. A grande maioria da população é rural 73%, estando a população urbana concentrada na Calheta de São Miguel 27% (INE 2010).

Em 2010, a população economicamente ativa era de 11.799 indivíduos (75.4%). Na mesma altura, o número de desempregados era de 1.686 indivíduos, ou seja, registava-se uma taxa de desemprego de 10,6%.

Pratica-se essencialmente uma agricultura de sequeiro. O censo agrícola de 2004 dava conta que 90% do solo local destinava-se às culturas de sequeiro sendo apenas 9% para regadio. O regadio é praticado na sua maioria nas desembocaduras das ribeiras de Flamengos, Ribeireta, São Miguel e Principal. É neste setor onde se emprega a larga maioria da população ativa.


A pesca

Apesar de uma boa faixa costeira com cerca de 13 km, a pesca ainda se pratica em modos tradicionais ou melhor dito artesanais, com muito pouca expressão para a economia local. É exercida acanhadamente na cidade de Calheta e em Achada do Monte. É suportada por uma frota de cerca de vinte botes movidos a motor na sua maioria. O pescado local, às vezes, é insuficiente para o consumo, pelo que, as vendedeiras de peixe veem-se obrigadas a trazer esse produto dos concelhos vizinhos ou da cidade da Praia. A associação dos pescadores local dispõe de uma câmara de produção de gelo para apoiar as peixeiras e pescadores na conserva do peixe.